Alimentação Saudável


A Proteína Animal

proteina_animalO consumo de carne – branca ou vermelha – é excessivo nas sociedades ocidentais e é um dos fatores importantes no aparecimento do colesterol e das doenças cardiovasculares. O entupimento das artérias deve-se, em grande parte, à ingestão abusiva de carne.

Para além de ser rica em gordura, a carne é vazia em nutrientes importantes e contém inúmeras toxinas que são acumuladas pelo organismo.

A carne em geral, mas sobretudo as carnes vermelhas, leva mais de três horas a ser digerida. Com o tempo, e especialmente com o estilo de vida sedentário que levamos, este consumo excessivo de carne aumenta a gordura do organismo e debilita perigosamente o nosso aparelho digestivo.

O Projeto China é o estudo mais abrangente sobre a associação entre alimentação e doenças na história da medicina. O The New York Times chamou a esta investigação “O Grande Prémio de todos os estudos epidemiológicos e o estudo mais extenso e mais abrangente alguma vez levado a cabo sobre a relação entre a alimentação e o risco de desenvolvimento de doenças.“

Dados de mortalidade recolhidos pela OMS já haviam demonstrado que nos países mais pobres, em que as pessoas consomem pequenas quantidades de carne e outros produtos de origem animal, as mortes devido a enfartes são inferiores a 5% da população adulta. Este novo estudo veio confirmar que praticamente não existem enfartes nas populações que fazem uma alimentação rica em vegetais e pobre em produtos animais. Isto porque os produtos de origem animal têm um teor baixo (ou nenhum) de nutrientes que nos protegem contra o cancro e contra os enfartes – fibras, antioxidantes, fitoquímicos, folatos, vitamina E e proteínas vegetais.

O erro dos Ocidentais é pensar que é necessário consumir diariamente carne, pois esta é fonte de proteína. Mas, na verdade deveríamos contentar-nos com duas refeições de carne por semana.

A ingestão de proteína é importante e essencial ao organismo desempenhando múltiplas funções, entre as quais a construção e a reparação dos tecidos do corpo. Contudo a ingestão de proteína animal, para além de estar acompanhada da ingestão de gordura, provoca um aumento da acidez do sangue levando a uma série de reações compensatórias, entre as quais a libertação de cálcio dos ossos para repor o pH inicial. Esta acidez, quando excessiva, está associada a uma maior perda óssea e a um ambiente propício ao desenvolvimento de cancro e outras doenças.

Todas as calorias que ingerimos e que contamos afincadamente quando queremos perder peso, têm origem na gordura, nos hidratos de carbono ou na proteína. A maior parte das calorias da carne provém da gordura, enquanto as verduras são maioritariamente proteína. Por exemplo a carne de vaca tem 6,4g de proteína por cada 100 calorias, enquanto os brócolos têm 11,1g. Pensamos regularmente que para ingerir proteína é necessário comer carne, peixe ou laticínios mas a verdade é que existem produtos vegetais com elevados teores de proteína sendo que a maior parte é rica em todos os aminoácidos.

O consumo de proteína vegetal é uma boa opção para alternar com o consumo de proteína animal.

No entanto o crucial é a proteção que perdemos por não comermos frutas e verduras em quantidades suficientes.

SUPERALIMENTOS FÖLD FONTE DE PROTEÍNA

Cânhamo, Clorela, Maca, Spirulina, Mix Mente e Corpo Up

Back to Top